1 de jul de 2011

Resenha: Menina Morta-Viva - Elizabeth Scott

Alice, esse não é seu nome. Mas é o nome que tem. Uma menina que sofre toda sorte de abusos de seu “pai”, o homem que a raptou, que a roubou de sua vida, de sua infância, de sua família. Quarenta e cinco quilos, nada mais do que isso.

“Não crescer nunca.
Talvez funcione em historinhas infantis.
Tente dizer isso enquanto uma mão quente e pesada a belisca para se certificar de que você ainda é uma criança.
Tente dizer isso quando é impedida de crescer, quando está presa para sempre no que outra pessoa quer que voe seja”.

Ninguém em seu prédio ou em qualquer lugar percebe a menina, que dirá seu grito escondido. Alice não grita, mas seus olhos imploram.

“E mesmo que decorasse meu pescoço com um círculo de marcas de dedos e me deixasse prostrada na rua, ninguém daria bola... em lugar nenhum, porque não sou nada, sou invisível. Aprendi isso do modo mais difícil”.

Ray, o pai – real em muitas casas –, a ameaça todo o tempo, há cinco anos, desde que fora levada aos dez. Caso faça algo que o desagrade, sua família pagará da forma mais cruel, assim como ela mesma.

“Olhando para ele, parece gente, mas basta olhar mais de perto para ver que não é o caso. Não é que seja oco por baixo da pele. É podre, isso sim”.

Mas a pequena Alice, a menininha de Ray, está crescendo e ela sabe que não permanecerá por muito tempo mais o lado de seu carrasco, afinal houve outra Alice antes dela... e tanto seu final quanto o de sua família não foi nada feliz.

Uma história intensa e rápida, extremamente forte de abusos não explícitos, afinal não há necessidade, se assim fosse feito seria apenas uma tentativa de deixá-la ainda mais trágica, o que com certeza seria somente apelação, porém a autora soube conduzi-la pelo o caminho certo. A narração é muito interessante, a visão de fora; a visão de Alice; a visão do passado. Não é um livro de fantasia, e sim da realidade que não mede esforços para a maldade, a verdade de muitas Alices.

*****
Editora: Editora Underworld
ISBN: 9788564025134
Ano: 2011
Páginas: 172
No Skoob
Adquira este livro
*****

Leia também:

6 comentários:

  1. Queroooo ler esse livro. E sua resenha me deixou mais curiosa ainda.

    ResponderExcluir
  2. É a segunda resenha que leio. Ainda não sei se tenho coragem de ler algo tão perturbador. Acho que fiquei mais covarde depois de ser mãe. Ótima resenha, Celly.

    ResponderExcluir
  3. Como disse na resenha, não é nada explícito, mas dá uma raivinha, sabe rs

    Mas é bastante indicado, leia sim =)

    ResponderExcluir
  4. Imaginava algo completamente diferente quando tomei conhecimento do livro no site da Underworld. Pensei em algo fofinho, gótico, meio Tim Burton. Esse é o problema do velho ditado, que por mais que não queiramos seguir, incoscientemente tomamos como primeira ação: "Não julgue um livro pela capa".

    Pela resenha (sinopse, não?) imagino agora algo pesado, e que, sem dúvida, me deu vontade de ler.

    Já está na lista de próximos a adquirir.

    ResponderExcluir
  5. Quando tomei conhecimento deste livro também imaginei algo diferente, me surpreendi muito - positivamente.

    É a resenha, a sinopse está em "Dica de leitura" =)

    ResponderExcluir
  6. Estou lendo o livro no momento e achei-o muito tenso, mas não a ponto de afugentar os leitores. É belo, é triste, mas também é angustiante e ficamos indignado diante da situação, mas é a realidade. Como a blogueira disse, não é fantasia, mas da realidade e existe muito caso parecido como o livro. Um livro de leitura ágil e intrigante. Vale a pena lê-lo!

    ResponderExcluir

Obrigada por dividir sua opinião. Ela é muito importante para o crescimento do blog e de seus leitores.