10/11/2014

Promoção de Natal "O menino que perdeu a magia"

Olá, foufos!

Eu amo o Natal, então resolvi dar um descontão bem bacana no meu livro juvenil O menino que perdeu a magia e mandar mimos de presente para você!


Além disso, essa é uma ótima oportunidade para presentear a família e os amigos, porque oferecer livro é massa e demonstra carinho... ainda mais se for com dedicatória e mimos, não é? =D

Então quem pedir O menino que perdeu a magia pelo e-mail leva o livro por apenas 18 reais + frete grátis + mimos + dedicatória.
  
cellyborgesamado @ gmail.com (retire os espaços)

Sinopse:
A história que vou contar me foi contada. Ela é repleta de sonhos e seres fantásticos. É sobre um homem chamado senhor Conrad, mas começa quando ele ainda nem havia recebido o título de "senhor" e foi horrivelmente obrigado a abandonar a sua magia, os seus sonhos.

Ou assim acreditavam as pessoas que já haviam perdido as suas magias.

Começa assim:
Daniel Conrad era feliz e apreciava sua infância...

Editora Fantas | Skoob | Twitter | Facebook

Espalhe por aí!

28/10/2014

Crowdfunding: Nada com coisa alguma, de José Aguiar


Sem personagens fixos e sem limitação de tema, gênero ou formato, é uma tira totalmente inusitada. Nela o quadrinista José Aguiar exercita as possibilidades gráficas e narrativas do pequeno espaço de uma tira de humor. Ou seria uma tira séria? Ou nada que possamos rotular?

Nas palavras do autor: “Meu cantinho particular, um lugar onde faço aquilo que não poderia fazer em nenhuma outra HQ”. Nada Com Coisa Alguma é publicada semanalmente no jornal Gazeta do Povo.

José Aguiar é artista, arte-educador formado pela FAP (Faculdade de Artes do Paraná) e quadrinista premiado com obras publicadas no Brasil (Vigor Mortis Comics, Ato 5, Revolta de Canudos, Dom Casmurro em Quadrinhos, MSP50, entre outras) e França (série Ernie Adams). Publica as tiras Nada Com Coisa Alguma no jornal Gazeta do Povo e também as tiras Folheteen, no Guia Curitiba apresenta (publicação da Fundação Cultural de Curitiba). É um dos criadores e curadores do Cena HQ, evento que realiza leituras dramáticas de HQs no Teatro da Caixa. Foi curador e cocriador da Gibicon – Convenção Internacional de Quadrinhos de Curitiba. Seus mais recentes livros publicados foram Folheteen - direto ao ponto e Reisetagebuch - Uma viagem ilustrada pela Alemanha, finalista na categoria ilustração do prêmio Jabuti.

Depois de saber da biografia massa do autor, conheça o projeto Nada com coisa alguma lá no Catarse, com vários prêmios bacanas para os apoiadores. Começa com apenas R$35, quanto maior o valor, mais prêmios são adicionados ao pacote. Mas atenção! Falta pouco tempo para acabar, então corra!

Aproveite o ensejo e visite o site do autor. Lá no Quadrinhofilia tem muita informação sobre todos os seus trabalhos, agenda, dicas...

27/10/2014

Comunicado: Novidades em breve!



Olá, foufos.

Estou bem distante do blog há tempos. Um pouco por preguiça, um pouco por não saber que direção tomar. Outro tanto, talvez, por cansaço ao ver tantos blogs com resenhas rasas que mais parecem sinopses, onde praticamente citam a capa e as ilustrações ao invés de ler de fato a história e mostrar ao seus leitores se o livro é bom ou não.

Também desde o fim do ano passado parei com todas as parcerias por vários motivos. Com as editoras principalmente por precisar ler livros que às vezes me faziam pensar que algumas histórias não acrescentavam nada em minha vida. Claro que mesmo os livros que podem ser considerados ruins por alguns, outros podem gostar e os que são tidos como os melhores, podem não curtir, isso é bem relativo e merece respeito. No entanto, esses que não gostava, eu precisava resenhar - e eu não deixava de apontar os pontos fracos -, o que tomava bastante tempo.

Outro motivo por ter parado com as parcerias é que alguns autores mandaram seus livros, e desses, os que gostei fiz resenha, alguns não consegui resenhar porque não queria deixar o autor "triste" - ou qualquer sentimento do gênero -, afinal, já tive casos de escritores que não gostaram da resenha - que nada teve de desrespeitosa ou pessoal, pois o que me importa é o livro e não a vida da pessoa - e convidaram a família toda para tentar me tirar do sério. Mas sou foufa... ou não. E "escritor" vingativo está cheio por aí, esses precisam evoluir muito profissionalmente.

Enfim, a questão aqui é que o Mundo de Fantas será reformulado e um dos objetivos é o de divulgação. Dos livros que gostei, autores e eventos que merecem espaço. Pois quem resenha de verdade sabe o quanto é difícil e como toma tempo trabalhar o texto e, afinal de contas, para que dar espaço àquilo que não gostamos?

Outras novidades virão. Então bem-vindos a Fantas e leiam as resenhas antigas.

Celly Borges

17/07/2014

Resenha: Tundé no mundo da Lua - Gê Lara


Tundé no mundo da Lua é um livro infantil encantador.

Tundé era um menino diferente. Assim, com suas diferenças, as pessoas pensavam que ele tivesse algum problema, então se aproveitavam dele, ele corria para lá e para cá fazendo favores para os vizinhos. Mas o menino aprendia muito com isso. Era um grande curioso.

O garoto fazia muitas perguntas, e os adultos pareciam não ter muita paciência, então respondiam qualquer coisa – como muitas pessoas são acostumadas a fazer quando uma criança tem curiosidade e ninguém quer ajudá-la. É mais simples dizer “Sim, sim, agora vá brincar”.

Tundé adorava ver a Lua Cheia – quem não gosta de admirá-la? Mas ele ia além, era uma paixão sem tamanho. Uma vontade de estar lá. Nasceu então no menino um enorme desejo de morar lá longe, na Lua. Assim, fazia de tudo para alcançá-la, subia na escada mais longa. E se machucava ao cair.

Como toda criança, um dia Tundé foi para a escola, e lá aprendeu muitas coisas, inclusive que não se chamava Tundé. E isso o frustrou.

Tundé era um menino sonhador, seu pensamento estava sempre na Lua, literalmente. Enquanto foi crescendo, exigiu ser chamado pelo seu verdadeiro nome.

Então o tempo passou... E a família descobriu que Tundé não era esquisito, ele era inteligente!

Sim, quantas vezes julgamos uma pessoa por sua excentricidade – ou aquilo que pensamos ser isso – só por ser diferente daquilo que fomos acostumados a acreditar ser o certo? E quando fazemos isso, deixamos de notar que a pessoa tem dons e/ou enxerga o mundo de uma maneira diferente.

E ser diferente, esquisito, faz com que se vá mais longe. O normal, comum, é tão chato. Já me chamaram de esquisita. E eu sorri, porque prefiro ser esquisita do que como quem se julga normal, e não enxerga o mundo com olhos de criança.

Tundé no mundo da Lua (2014, Gulliver Editora, 36 páginas) tem ilustrações lindas e coloridas de Denyse Neuenschwander, que também ilustrou Aldebarã, de Juvenal Bernardes. O autor soube entender as crianças e conseguiu contar uma linda história. Leia e se encante.

Gê Lara estará na FLID - Feira Literária de Divinópolis, MG, que acontecerá entre os dias 29 a 31 de agosto. E eu também estarei lá.

*****
Editora: Gulliver
Ano: 2014
Páginas: 36
Skoob | Gulliver Editora
*****