16 de out de 2009

Resenha: Fahrenheit 451 - Ray Bradbury

Fahrenheit 451 foi escrito em 1953. Ray Bradbury (1920) criou uma história fantástica em que, no futuro, não serão necessários os bombeiros, e o que fazer então, quem tem esta profissão? Agora eles destroem os livros!, ninguém mais pode ler. Os volumes serão tidos como ameaça.

Nas casas as pessoas têm somente a companhia de tvs-murais. Possuir esses televisores é o sonho de todos, e mostra status.

“A Tv molda as pessoas como bem deseja! É um ambiente tão real quanto o mundo. Ela se TORNA a verdade e É a verdade. Os livros podem ser postos de lado com razão”.

Apesar de viverem neste mundo em que é proibido ler, há pessoas que pensam, que indagam como tudo acontece.

“Dizem que sou antissocial. Não faço amizades. É uma coisa esquisita. Na verdade eu sou muito social. Tudo depende do que você chama de social, não é?”

E ser "diferente", pensar, traz consequências. 

“As pessoas não conversam sobre nada. Enfileiram uma porção de marcar de carros, ou de roupas e dizem que é sensacional. Mas todo mundo diz as mesmas coisas e ninguém diz nada de diferente”.

Fahrenheit 451 é a temperatura em que o papel pega fogo. Uma leitura indispensável para quem gosta dos livros. Aprenderá a respeitá-los ainda mais, pois, quem sabe, esta história não seja uma previsão?

Fahrenheit 451 foi filmado em 1966, dirigido François Truffaut.

***** 
I.S.B.N.: 8525037249 
Edição : 2003
 Número de Páginas : 215
Editora: Globo
 
*****

7 comentários:

  1. Sou fascinada por histórias com livros, boa dica Celly!

    ResponderExcluir
  2. É incrível: eu sou o maior fã de Ray Bradbury que conheço, rs, mas nunca li este livro! Deve ser porque curto mais os seus contos do que as narrativas longas. Mas também pode ser uma vontade inconsciente de sempre ter algo a mais dele para ler: será triste o dia em que eu já ouver lido tudo e não sobrar mais nada...
    Bem, mas depois de ler os trechos da obra que você selecionou, não tenho mais como postergar essa leitura. Valeu pela lembrança! Bj!

    ResponderExcluir
  3. Li bem pouco de Ray Bradbury, mas o que li, gostei bastante.
    Fahrenheit vc tem que ler! É essencial!

    ^.^
    bjoo

    ResponderExcluir
  4. Ah esse já esta na minha lista futura, mas eu não tenho ele ainda. Parece ótimo!

    ResponderExcluir
  5. Esse livro é fantástico mesmo, uma história maravilhosa, um final que faz qualquer fanático por livros se emocionar.

    Não sei se vc é de São Paulo, mas se for, está convidada para o lançamento do livro que estou participando, o Galeria do Sobrenatural. Detalhes do evento no endereço abaixo:

    http://luamortal.blogspot.com/2009/10/nova-participacao-literaria-dessa-vez.html

    Ah, e se de repente vc puder dar uma ajudinha na divulgação (colando no seu blog o convite para o evento), eu agradeceria. Mas se não for possível, não tem problema. O mais importante é vc comparecer no evento (se possível for, é claro).

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Mario, sou de Curitiba, infelizmente não poderei ir, mas já divulguei o convite!

    ^.^

    bjoo

    ResponderExcluir
  7. Sou fã do Bradbury, mas este livro eu ainda não li, só vi o filme há um tempão atrás na Globo.
    Um amigo meu que parece ter lido todos os livros dele me falou que "F de Foguete" é seu melhor livro.
    Será que isso é verdade?
    Valeu.

    ResponderExcluir

Obrigada por dividir sua opinião. Ela é muito importante para o crescimento do blog e de seus leitores.