1 de abr de 2009

Resenha: Direi que lembro de você - W. P. Blatty

“Este é um livro alegre”,

assim começa Direi que lembro de você (I’ll Tell Them I Remember you – 1973), muito mais do que uma autobiografia, é uma linda homenagem à mãe, mulher simples que, sozinha, teve de criar os cinco filhos pequenos.

Um exemplo das muitas aventuras que Blatty viveu com a mãe aconteceu em 1939, quando ela descobriu que o então presidente Franklin Delano Roosevelt iria ao bairro onde a família morava para a inauguração de um túnel, e resolveu que queria conhecê-lo. Mãe e filho estavam parados em frente ao cordão de isolamento. Ela com sua inseparável sacola de papel. De repente o pequeno Willie olhou e lá estava ela, ao lado do presidente. A sra. Blatty colocou a mão dentro da sacola – vários agentes secretos surgiram – e ela tirou um vidro de geleia de marmelo.

Quando cresceu, para sobreviver, Blatty vendeu até mesmo aspirador de pó. E, no início de julho de 1969, começou a escrever seu mais conhecido livro, O Exorcista – retomado em 1970. E também teve começo estranhos acontecimentos, como quando a filha de Blatty viu um fantasma que, pela descrição, lembrava a avó; assim como um enorme e bem pendurado quadro despencou da parede – depois, mesmo com chutes dados por Blatty, nem se moveu do lugar –, ou quando o telefone, após tocar duas vezes, simplesmente voou do gancho.

W. P. Blatty, apesar de ter tido uma infância muito difícil, as lembranças são as mais ricas, de um menino que teve a vida repleta de brincadeiras de criança.

“Mas não precisamos de fenômenos paranormais para ter prova de Deus ou da vida eterna”.

*****
I’ll Tell Them I Remember you – 1973
Tradução de Milton Persson
Editora Nova Fronteira
163 páginas
*****

6 comentários:

  1. Eu não fazia idéia de que ele tinha um livro auto-biográfico. xD

    Parece ser bem diferente do que é o Exorcista que, aliás, eu gostei muito. ^^

    ResponderExcluir
  2. Eu adoro biografias, parece legal. Não li O Exorcista, então não tenho opinião sobre o autor.

    ResponderExcluir
  3. A Izze já leu e adorou o livro! Leia também, Cláudia, depois me diz o que achou! ^.^

    ResponderExcluir
  4. Este livro é incrivel, comovente, e até um pouquinho assustador.
    O cara é um genio.
    O Exorcista é bem melhor que o filme, mas se quiserem ir além, leiam O espirito do mal, todos do mesmo autor.
    Abraços,

    Dryc@

    ResponderExcluir
  5. Não imaginava que o autor de O Exorcista tinha um livro assim, fiquei curiosa para conhecer a história dele, do que aconteceu que o levou a escrever histórias de terror, se foi por gosto mesmo ou algo que aconteceu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bom! Não sei se ainda tem em livrarias, mas em sebo, deve achar fácil. Recomendado! =)

      Excluir

Obrigada por dividir sua opinião. Ela é muito importante para o crescimento do blog e de seus leitores.